Projeto 2 – Expansão da Vertente Artística



Concurso de Desenho Infantil


“A Missão da Arte consiste em sublimar a sensibilidade do homem, 

enriquecendo-lhe o quotidiano, proporcionando-lhe  alegria e o sentido da vida.”

Mokichi Okada


Divulgado pelo Município junto das escolas do 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico das redes pública e privada do Concelho do Porto, este concurso editado pela Fundação MOA de Portugal, reflete o propósito do seu fundador Mokichi Okada de criar, através da arte, uma sociedade alicerçada nos valores da Verdade, do Bem e do Belo.

Os trabalhos a concurso ficam patentes ao público em exposição num espaço municipal, sendo ainda realizada cerimónia de entrega de prémios aos dez primeiros classificados.

O primeiro trabalho premiado é enviado para o Museu de Belas Artes MOA em Atami, Japão, ficando expostos e ainda submetidos a um concurso de desenhos infantis de várias partes do mundo.


Objetivos:

  • valorizar a criatividade e o imaginário infantil, enaltecendo a sensibilidade e a beleza como valores fundamentais do desenvolvimento pessoal;

  • promover o desenvolvimento de competências nas áreas de expressão artística e artes visuais;

  • intensificar o intercâmbio de Arte e Cultura entre Portugal e Japão.


 

 

Curso de arte (oferecido aos vencedores do Concurso de Desenho Infantil)

O curso de arte, oferecido aos pais, professores e alunos vencedores é formado por 4 sessões distintas e tem como objetivo sensibilizar e partilhar a importância da educação emocional por meio das artes.


 
Ikebana (Arte floral) como método de promoção de saúde

De acordo com os mais recentes estudos do campo da psiconeuroimunologia, comprova-se cientificamente que estados psíquicos positivos como a alegria e a gratidão agem beneficamente no sistema imunológico, ou seja, propiciam o funcionamento da capacidade curativa natural.

Existem já instituições médicas que, tendo percebido a eficácia terapêutica da flor e da jardinagem, as aplicam aos seus doentes. Estas terapias ocupacionais promovem a saúde integral, surtindo um efeito relaxante e diminuindo a sensação de fadiga, etc.

O princípio fundamental das manifestações artístico-culturais desenvolvidas pela MOA tem em vista a introdução da beleza no quotidiano e ampliação dum dia-a-dia no qual se deleita com o belo, com a obtenção de uma maior beleza e saúde mental e física. Para além da arte floral, todo o prazer usufruído da apreciação de obras artísticas, do desenhar e do pintar, da cerimónia do chá, da música, etc. faz parte deste método de saúde integral.

A MOA pretende expandir este projeto de arte como método de promoção de saúde, iniciado com a Santa Casa Misericórdia – Centro Hospitalar Conde Ferreira, para outras associações nomeadamente lares, centros de dia, centros de saúde, etc.


 
Educação emocional por meio de Belo

"A educação artística - o elemento mais deficiente do atual sistema educativo - deve ser amplamente incentivada. Ademais, isso corroborá para o cultivo do pacifismo" 

(Mokichi Okada- 19 de Dezembro de 1953)


“Tenciono avançar com a diretiva de promover a elevação da personalidade de maneira espontânea e inconsciente, enquanto o indivíduo se deleita. Em suma, esta é a educação verdadeira, seja no campo das artes ou nos demais. A educação atual se acha equivocada. É preciso que as crianças vão formando a sua personalidade de uma maneira mais divertida e engraçada.” 

(Mokichi Okada - 21 de Dezembro de 1951)


A Fundação MOA, atenta aos crescentes problemas sociais, destacando a degradação do ambiente que envolve as camadas infanto-juvenis, desenvolve o presente projeto objetivando contribuir para a valorização da arte como fonte de estímulo ao pensamento crítico e criativo, experienciando e vivenciando novas formas de apreender o Mundo (nas suas diferenças, nos seus valores, nas suas culturas…) e reconhecer a sua importância num processo educativo de qualidade, promotor de valores e atitudes de cidadania responsável.

 

Exposição de arte em centros hospitalares (atividade futura)

Desfrutar da beleza enriquece a força imunológica:

O Dr. Yoshiteru Maki é o diretor médico da Clínica da MOA em Kagoshima da Fundação Médica Korinkai e incorpora o Método de Arte e Cultura dentro de seu tratamento médico. Em relaçãoà influência que o belo exerce sobre o corpo e a mente, o Dr. Maki menciona: “quando vejo algo formoso e sinto que é formoso, o reflexo que se obtém chama-se ‘reflexo psíquico’. O fato de me aproximar mais à beleza me leva a realizar um ‘reflexo de conduta ou ação’. Como resultado disto, sente-se que os sentimentos vão relaxando, dando lugar ao ‘reflexo orgânico’. Por exemplo, quando a pessoa tem medo, seu rosto fica pálido, os vasos sanguíneos se contraem e a pulsação acelera. O sistema nervoso autónomo é muito frágil em relação a este tipo de estímulo externo. Nesse instante, se penso na beleza de uma flor, a respiração se torna mais serena e o ritmo cardíaco se estabiliza. No caso de poder realizar exames nesse momento, seguramente observaremos a presença de ondas alfa com níveis significativos de beta endorfina. No princípio, pode ser que isto seja um sintoma temporário, mas quando se repete, isto se canaliza em resultados positivos. Até a personalidade de uma pessoa pode chegar a mudar”.

As ondas alfa são ondas cerebrais que surgem quando o ser humano se encontra num estado de relaxamento tanto corporal como mental. É um estado onde se dificulta o acúmulo de stress, permitindo o fortalecimento do sistema imunológico e a elevação do poder de concentração. Nesse estado desfruta-se de muitos benefícios.

Quando o ser humano sente algo divertido, o cérebro segrega uma hormona conhecida como beta endorfina. Esta substância ajuda a circulação sanguínea, fortalece a ativação do sistema imunológico e protege o corpo. Um dos principais atributos da beta endorfina se encontra na proteção da saúde quando elimina o stress.


http://online.wsj.com/articles/more-hospitals-use-the-healing-powers-of-public-art-1408404629

Deste modo a MOA tenciona aproveitar os desenhos das crianças (do Concurso de Desenho Infantil) e expô-los em centros hospitalares, centro de saúdes, etc. como uma experiência de intervenção na saúde dos utentes e dos profissionais por meio da arte.