IX Concurso de Desenho Infantil – MOA 2017/2018 Porto


A Fundação MOA, atenta aos crescentes problemas sociais, destacando a degradação do ambiente que envolve as camadas infanto-juvenis, desenvolve o presente concurso objetivando contribuir para a valorização da arte como fonte de estímulo ao pensamento crítico e criativo, experienciando e vivenciando novas formas de apreender o Mundo (nas suas diferenças, nos seus valores, nas suas culturas…) e reconhecer a sua importância num processo educativo de qualidade, promotor de valores e atitudes de cidadania responsável.


O prazo de candidatura ao Concurso termina em 15 de Dezembro de 2017

O prazo de entrega dos trabalhos termina em 23 de Fevereiro de 2018


A formalização da candidatura deverá ser remetida para o email do concurso: desenhoinfantil.moaportugal@gmail.com indicando:
  • Nome da escola;
  • Nome do professor(a) responsável;
  •  Número de trabalhos a apresentar.

Todos os trabalhos integrarão uma exposição pública, que iniciará com uma cerimónia de entrega de prémios, a decorrer em data e local a designar.
O primeiro trabalho classificado será enviado para o Museu de Belas Artes MOA em Atami, Japão, ficando exposto e ainda submetido a um concurso de desenhos infantis de várias partes do mundo, desde que o número de trabalhos entregues em Portugal seja superior a 100.

Temas dos trabalhos
Salienta-se que este ano, no sentido de comemorarmos os 40 anos desde que foi assinado o acordo de geminação entre Porto – Nagasaki, os trabalhos deverão estar subordinados a um dos seguintes temas:


1-Apresentação da cidade onde vivem, às crianças da cidade geminada

Aquilo de que se orgulham e que querem mostrar às crianças japonesas. Exemplos: panoramas, paisagens, especialidades, festas da cidade, ente outros.
 
 
2-Apresentação de coisas da cidade irmã que existem na sua cidade

Exemplos:
1- Igrejas ou Pão de Ló em Nagasaki (que representam a influência dos portugueses no Japão)
2 - Biombos Namban que se encontram no Museu Nacional Soares dos reis no Porto;
3 - Árvore de kaki, plantada no Palácio de Cristal, descendente da única árvore que sobreviveu ao bombardeamento atómico em Nagasaki.

 “Em 2007, alunos de várias escolas do Porto, em conjunto com representantes da Câmara Municipal, plantaram nos jardins do Palácio de Cristal, junto à Biblioteca Municipal Almeida Garrett, uma árvore “kaki” (diospireiro), descendente da única árvore que sobreviveu à bomba nuclear. A árvore tem sido plantada em diversas regiões do mundo “para mostrar que apesar da destruição há sempre esperança de que tudo se renove”, explicou Maria Adelaide, uma das bibliotecárias que esteve presente em diversas atividades que decorreram nos jardins.”
(https://jpn.up.pt/2008/05/26/o-japao-mais-proximo-do-porto/)
  
4 - Outras características:
  • O Rio;
  • O porto de importação, exportação;
  • A construção das cidades é idêntica. A cidade de Nagasaki foi construída por portugueses na colina da montanha, em socalcos, contrariando a forma plana das outras cidades japonesas. (Foto do Porto e Nagasaki)
  • Do Japão chegaram as japoneiras e para o Japão exportou-se a as hortências
  •  
De todos os trabalhos a concurso serão escolhidos 50 para integrar uma exposição em outubro de 2018 que contará com outros 50 trabalhos de crianças japonesas. A equipa Municipal de Nagasaki visitará a exposição.

Bom trabalho a todos!